Whitepaper: o que é e como criar o seu?

mulher entre notebooks exibindo relatórios analíticos

Whitepaper é um documento escrito por um especialista de determinada área, o qual traz dados, estatísticas, insights e outras descobertas que podem influenciar a decisão de um potencial cliente.

Ele é diferente de um e-book e de um blog post, sendo bastante utilizado por empresas para confrontar problemas enfrentados no dia a dia por seus clientes e as soluções que a organização oferece.

Quer saber mais sobre como criar essa peça fundamental da sua estratégia de conteúdo? Siga com a leitura!

 

Qual a diferença entre blog post, e-book e whitepaper?

Quando defini o que é whitepaper no início do post, deixei claro que ele é diferente do e-book e também de um blog post. Essa diferenciação não é só em termos de conteúdo, mas também de finalidade.

Um blog post tem por objetivo introduzir o leitor em determinado assunto. O e-book, por sua vez, tem por objetivo aprofundar o conhecimento nesse tema.

Para ficar mais claro, poderíamos escrever um blog post sobre o que é prospecção de clientes e, ao final deste, sugerir o download de um guia completo sobre como montar uma estratégia para captar clientes na internet.

Mas, se estivermos conversando com um lead já qualificado, seria interessante oferecermos no lugar do e-book um whitepaper apresentando resultados concretos sobre como conseguir clientes pela internet.

Por resultados concretos entenda pesquisas, depoimentos e dados estatísticos que comprovem que determinada solução, como uma ferramenta de e-mail marketing, contribui para o atingimento de resultados nesse campo.

Em resumo, o blog post introduz um assunto, o e-book aprofunda o tema e o whitepaper mostra a aplicabilidade do conhecimento em resultados concretos.

 

Por que criar whitepapers?

Segundo pesquisa da Demand Gen, os whitepapers são o tipo de conteúdo preferido quando se trata de tomar decisões.

infográfico com os conteúdos mais usados na tomada de decisão

82% dos entrevistados citaram o whitepaper como o documento mais usado na hora de bater o martelo em uma compra. A lista segue com webinars, estudos de caso e e-books, conforme você pode conferir no infográfico.

Mas a pergunta que fica é: por que os whitepapers são importantes em uma estratégia de conteúdo? É o que você confere na sequência.

 

Geram credibilidade

Whitepapers são conteúdos altamente especializados, com informações úteis, que conectam problemas reais a soluções existentes. Portanto, têm um grande poder de influência, gerando mais credibilidade para a marca.

 

Despertam o interesse por seus produtos e serviços

Criar whitepapers é uma maneira inteligente de despertar o interesse das pessoas por aquilo o que a sua empresa oferece sem entrar no discurso de vendas.

Se você trabalha com marketing educacional, por exemplo, pode apresentar um relatório com os principais desafios do setor e como resolvê-los. Ao mostrar as soluções possíveis, você pode mencionar o marketing de conteúdo educacional sem, no entanto, dizer abertamente que oferece este serviço.

 

São altamente compartilháveis

Tornar um conteúdo viral é um grande desafio para qualquer marca. Todavia, com um whitepaper bem elaborado esse entrave pode ser tornar bem menor. Isso se deve ao tipo de informação tratada no whitepaper.

Dados, pesquisas, gráficos e infográficos facilitam a compreensão de como determinada solução pode ser aplicada, incentivando as pessoas a mostrarem esses resultados aos seus pares.

 

Como criar whitepapers?

Antes de mais nada, o whitepaper deve estar alinhado à sua estratégia de marketing de conteúdo e aos valores da sua organização. Ele deve contribuir para a conquista de resultados, ou seja, conversão de leads e clientes.

Sendo assim, considere estes fatores no momento de criar seu primeiro whitepaper:

 

Crie conteúdo centrado no usuário

A estrutura do whitepaper é a seguinte: apresente um problema e seu contexto e então demonstre as possíveis soluções. Mas não seja leviano nas informações, vá à fundo no problema, suas causas e potenciais formas de resolvê-lo.

O whitepaper deve atender às necessidades do público que você pretende atingir. Em outras palavras, crie conteúdo centrado no usuário.

 

Dedique tempo à criação do whitepaper

Por ser um conteúdo que estimula a conversão, é comum que as empresas queiram criar whitepapers assim como criam artigos para blog. Se este foi seu primeiro ímpeto, segure a ansiedade.

Whitepapers são conteúdos mais densos, que exigem um trabalho de refino muito maior do que um conteúdo para blog. Você precisa definir um tema central, compilar dados relevantes, estabelecer conexões inteligentes entre problema e solução e pensar, também, na intenção do usuário que fará uso desse conhecimento.

 

Construa uma narrativa coerente

Por mais que os whitepapers assumam um ar mais técnico, é imprescindível que você construa uma narrativa consistente ao longo de todo o documento, que pode chegar a ter de 10 a 15 páginas.

Crie uma estrutura de intertítulos que permitam conectar ideias e, depois de ter o texto pronto, peça para outras pessoas lerem e darem opiniões. Seu conteúdo deve ser profundo o suficiente para demonstrar a expertise da sua empresa, mas abordar o tema de forma simples e objetiva, de modo que qualquer pessoa compreenda a mensagem que você quer transmitir.

 

Crie títulos instigantes

O título de um whitepaper faz toda a diferença na sua estratégia, uma vez que o leitor é fisgado pela oferta de valor que você inclui nessa pequena e tão importante linha inicial.

É por meio do título que você estabelece a primeira conexão com a sua audiência, portanto, seja claro e objetivo, mas sem perder o impacto de uma boa chamada para a ação.

 

Não esqueça da comunicação visual

O design é parte importante da transmissão de uma ideia. Então, se você deseja que seu whitepaper seja acessado por milhares de pessoas, dedique tempo à identidade visual dele.

Ter profissionais experientes na criação de materiais gráficos envolvidos no processo é um grande diferencial.

 

A anatomia de um whitepaper

Certamente você chegou até aqui se perguntando “Ok, mas quais são os tópicos que eu devo abordar em um whitepaper? Como montar essa estrutura de narrativa?”. Confira a seguir:

# Abstract ou Resumo: é onde você apresenta o conteúdo de forma resumida. Basicamente, você deve responder o quê, onde, quando, porquê e quanto.

Problematização: é a parte em que você apresenta o problema que é comum para a sua audiência.

Contexto: aqui você situa o problema no tempo e no espaço, definindo em que situações ele acontece.

Solução: nesta parte do whitepaper, você traz à tona a solução que pode eliminar de uma vez por todas o problema apresentado anteriormente. Traga dados, estatísticas, depoimentos e outros argumentos que corroborem a relevância da solução.

Conclusão: resume as principais descobertas e conclusões acerca do que foi apresentado.

Referências: lista as fontes de informação utilizadas para a elaboração do whitepaper. Não esqueça de dar os devidos créditos, hein?

Curtiu saber como criar whitepapers? Combine essa estratégia com o marketing de influência e potencialize o alcance da sua estratégia!